terça-feira, 30 de junho de 2009

Equilibrio da Pelve em apoio unilateral


Exercicio comumente utilizado nas academias nos dias atuais , o SLDL vem como ferramenta importante nos ganhos de propriocepção e estabilidade, além de fornecer uma opção mais segura para o trabalho de Glúteos e Isquios Tibiais. Tendo em vista isso , acho necessário analisar a fisiologia do apoio unilateral, que nos fornece uma boa base teórica para a análise desse movimento.

Com o apoio bilateral a pelve é estabilizada pela a ação simultânea e bilateral de adutores e abdutores do quadril. Já em apoio unilateral, o equilibrio transversal da pelve é assegurado unicamente pela ação dos abdutores do lado do apoio.

Considerando a cintura pélvica como uma alavanca de primeiro grau, onde a resistencia é o peso do corpo aplicado no CG, o ponto fixo , representado pela articulação coxo femoral do apoio e a potencia pela força do Gluteo médio, temos que para que o quadril fique em uma posição horizontal em apoio unilateral, a força do Glúteo médio ( juntamente com o glúteo minimo e o TFL) seja suficiente para equilibrar o peso do corpo, levando-se em consideração a desigualdade dos braços de alavanca.

Quando um desses musculos esta insufiente, a pelve se inclina para o lado oposto em um ângulo proporcional a magnitude da insuficiencia ( Sinal de Trendelemburg ) . A insuficiência do TFL pode além de comprometer o equilíbrio da pelve, afetar também o equilibrio do joelho, favorecendo uma separação da interlinha articular do joelho.

A medida que se modifica o grau de flexão de quadril em apoio unilateral, abdutores diferentes agem no equilíbrio pélvico.

COM O QUADRIL EM EXTENSÃO- O CG se desloca para trás da linha do quadril e a bascula posterior é impedida pela tensão no lig. de Bertin ou iliofemoral (figura abaixo) e pela ação do TFL, que é abdutor e flexor , corrigindo portanto a bascula posteriore lateral da pelve.

COM A PELVE UM POUCO INCLINADA PARA TRÁS - A medida que a pelve desloca-se para trás, o CG encaminha-se na direção posterior em relação a linha dos quadris e o glúteo mínimo começa a entrar em ação - o glúteo mínimo é outro abdutor e flexor , assim como o TFL.

PELVE EQUILIBRADA NO PLANO SAGITAL- O CG está na linha do quadril e a pelve é estabilizada lateralmente pelo Glúteo médio.

PELVE BASCULANDO PARA FRENTE - Entra em ação o Glúteo máximo, juntamente com o piramidal , o obturador interno e o quadrado da coxa. A medida que se aumenta a flexão do tronco estes musculos que são abdutores (quadril fletido) e extensores permitem estabilizar a pelve simultaneamente nos plano frontal e sagital.


Como vimos a ação do
s abdutores é de suma importancia no processo de equilíbrio da pelve em apoio unilateral e devemos lembrar que esse equilíbrio pe de fundamental importancia nas ações de marcha e consequentemente na corrida devido a sua fase de apoio unipodal, com isso considero de fundamental importancia a ativação destes musculos para corredores, tanto de maneira analítica como de maneira integrada.

Nenhum comentário: